Esporte e Lazer : Competições Esportivas

Sesc Portão sedia seletiva paranaense de Bocha Paralímpica

Dezessete atletas do estado participaram da seletiva paranaense masculina de bocha paralímpica realizada no sábado (16) no Sesc Portão. Pela primeira vez o Sesc PR foi parceiro do evento ao lado da Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE), órgão regulador da modalidade no Brasil.  

“Essa é a seletiva paranaense que classifica os atletas para o campeonato brasileiro. O Sesc Paraná está sempre pensando no esporte, e na integração das pessoas com deficiência. Esse torneio é o primeiro passo de outros eventos que pretendemos fazer em conjunto”, adiantou o diretor regional do Sesc PR, Emerson Sextos, que prestigiou os jogos.  

De acordo com o diretor de Esporte e Lazer e Saúde do Sesc PR, Marcus Vinicius de Mello, a seletiva é o primeiro passo da parceria entre o Sesc PR e a ANDE. “A ideia é realizar o Campeonato Brasileiro de Jovens da modalidade no primeiro semestre de 2022 em uma unidade do Sesc PR”, acrescentou. 

Jogos 

A bocha paralímpica é praticada por atletas com deficiência em quatro categorias, conforme o grau de comprometimento: BC1, BC2, BC3 e BC4. “A importância das seletivas desse ano foi o retorno das atividades e dos atletas, seguindo todos os protocolos de segurança. Por conta da pandemia não conseguimos manter o nosso calendário e, agora, estamos retomando as atividades. Vale ressaltar que a etapa paranaense é a última, pois já nesta semana realizamos o Campeonato Brasileiro da modalidade em Joinville, Santa Catarina”, pontuou o presidente da ANDE, Artur Cruz Gomes.   

Os jogos iniciaram às 13h e se estenderam durante a tarde, porém desde às 8h as equipes de Colombo, Toledo e duas de Curitiba já estavam no local para o credenciamento dos atletas. As quatro equipes receberam troféu de participação e os quatro primeiros colocados as medalhas. 

Medalhista paralímpico da modalidade em Pequim, Londres e Rio de Janeiro, o paranaense Eliseu dos Santos, acompanhou a seletiva. “Depois de Pequim acredito que a bocha paralímpica começou a ter uma visibilidade maior. A Paralimpíada do Rio, por ter sido realizada em casa, sem dúvida também contribuiu para esse cenário. Eu sempre falo que esse é o esporte mais inclusivo de todos. Eu tenho distrofia muscular, fui para quatro Paraolimpíadas, com todas as minhas dificuldades e limitações, então eu considero que essa modalidade pode despertar uma atenção de pessoas como eu, basta acreditar e trabalhar. As seletivas são importantes na divulgação para dar chance a novos atletas”, observou.  

Aos 17 anos, Gabriel Willian Pereira, de Campo Largo, disputou a seletiva na categoria BC3. Acompanhado pelo pai, Dirlei Antonio Pereira, como calheiro e técnico, o atleta comemorou o retorno aos campeonatos, após quase um ano e meio parado por conta da pandemia. “Há quatro meses voltamos a treinar. Paralisamos todas as atividades, os treinos, as sessões de fisioterapia, a natação, as aulas presenciais dele na escola, até pelo receio com a pandemia. Agora o Gabriel tomou a primeira dose da vacina e nos sentimos mais seguros em retornar as atividades. A bocha mudou a vida dele e a de todos nós, então é muito bom poder estar de volta”, completou o pai.  

Também acompanharam os jogos o vice-presidente da Fecomércio PR e presidente do Sirecom-PR, Paulo Cesar Nauiack; o conselheiro do Sesc PR, Zildo Costa; a diretora da Divisão de Suprimentos e Patrimônio do Sesc PR, Manuela Lopes Pereira; o gerente de Esporte e Lazer do Sesc PR, Lucas Chaves; a gerente executiva do Sesc Portão, Ester Lopes dos Santos, e o coordenador do Paradesporto, Mário Sérgio Fontes, representando a Paraná Esporte, que apoiou a seletiva.

Confira a classificação final da seletiva aqui.

Meu Sesc

Agora digite sua senha

Recuperar senha
Insira abaixo o seu login cadastrado ou o n˚ do seu Cartão Sesc e receba instruções e o link para criar uma nova senha.