Sesc promove ações em alusão ao Agosto Dourado

No Brasil o mês de agosto é dedicado ao aleitamento materno. Diversas ações são realizadas com o intuito de conscientizar a população sobre a importância da amamentação e os benefícios que ela traz para mães e bebês.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), menos de 40% dos bebês de até seis meses de idade são alimentados exclusivamente de leite materno. O sucesso desse tipo de aleitamento está diretamente ligado à boa orientação desde o pré-natal, e este cenário pode ser mudado com maior atenção às gestantes e lactantes, e por meio do combate à desinformação, além de disseminar sobre sua importância e benefícios.

Para facilitar o aleitamento, o contato pele a pele deve ser estimulado logo após o nascimento, independentemente do tipo de parto, pois quanto mais cedo a amamentação se iniciar, mais leite a mãe produzirá. O primeiro leite produzido pela mãe é chamado de colostro, e pode ser gerado ainda durante a gravidez. Sua composição é rica em proteínas e anticorpos e alimenta o bebê nos primeiros dias após o parto, além de proteger contra uma série de doenças. Assim, é considerado “a primeira vacina do recém-nascido”.

A recomendação é de que o leite materno seja o único alimento do bebê nos seis primeiros meses de vida. Esse ato diminui a mortalidade infantil ao reduzir a incidência de doenças infecciosas, além de diminuir processos alérgicos, melhorar o desenvolvimento intelectual e proteger contra doenças a longo prazo, como obesidade, diabetes tipo I e II e linfomas. A OMS e o Ministério da Saúde do Brasil recomendam que o aleitamento materno seja complementado até os dois anos ou mais, sem prazo para sua interrupção, podendo ser mantida enquanto for prazerosa para a mãe e o bebê.

As mamadas devem ocorrer por livre demanda da criança, até que a mesma esteja satisfeita. Em geral, não há necessidade de trocar a mama durante a mesma mamada, apenas alterná-las na mama seguinte. Normalmente a mãe produz mais leite do que a quantidade de que a criança necessita. Esse excedente pode causar desconforto, dor, e ingurgitamento mamário, e deve ser removido por meio de massagem e ordenha, podendo ser conservado em congelador para uso posterior ou doado aos bancos de leite humano (BLH). O site da Fio Cruz mostra a localização e o contato de todos os bancos e postos de coleta do Brasil, e basta entrar em contato para obter as informações necessárias para as lactantes tornarem-se doadoras de leite humano.

A amamentação, portanto é um ato de nutrição física e emocional, que traz inúmeros benefícios para a mãe e o bebê. Porém, o sucesso desse processo depende de muitos fatores que podem também interferir na produção do leite e no ato de amamentação em si, como condições emocionais, nutricionais, de apoio social e familiar, entre outros. É um processo muitas vezes frustrante e difícil da mãe lidar, porém pode acontecer com qualquer mulher. Desta forma se faz ainda mais necessário oferecer suporte e aconselhamento profissional. Por outro lado, tendo essa dificuldade, também precisa-se pensar na manutenção nutricional do bebê, e com isso nota-se a grande importância da doação de leite.

Não há nenhuma fórmula artificial equivalente ao leite humano. Além do benefício nutricional, a amamentação contribui com a imunidade e o desenvolvimento físico e intelectual da criança. Tão importante quanto amamentar, a doação de leite materno ajuda a salvar a vida de muitos recém-nascidos prematuros internados em unidades de terapia intensiva (UTI) neonatais. O leite materno é alimento de ouro para a saúde dos bebês!

Fonte: Febrasgo

Campanha

Diante de tanta importância do leite materno, e em comemoração ao Agosto Dourado, o Sesc PR irá promover, no período de 23 a 27 de agosto, uma campanha para incentivar a amamentação, a doação de leite e recipientes que são usados pelos bancos de leite para conservação e doação.

Os potes de vidro de até 500 ml e as tampas serão repassados aos bancos de leite em todo o estado. As doações recebidas serão esterilizadas e utilizadas pelo hospital para acondicionar leite humano para alimentar bebês prematuros. De acordo com dados da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos diariamente.

O que doar?

Frascos de vidro de até 500 ml, preferencialmente com tampa plástica e tampas plásticas avulsas.

As lactantes podem doar leite, além dos frascos e tampas!

Quando doar?

De 23 a 27 de agosto de 2021.

Onde doar?

Frascos e tampas: Na unidade Sesc mais próxima. Consulte pelo site.

Leite materno: Nos Bancos de Leite Humano ou Postos de Coleta de Leite Humano.

Meu Sesc

Agora digite sua senha

Recuperar senha
Insira abaixo o seu login cadastrado ou o n˚ do seu Cartão Sesc e receba instruções e o link para criar uma nova senha.