Vacinação em tempos de pandemia

A partir de 11 de março de 2020, quando a OMS (Organização Mundial de Saúde) classificou o novo coronavírus como uma pandemia, o Brasil tem vivido inúmeras mudanças em todos os seus setores, principalmente no da saúde – desde a criação de hospitais de campanha, até a readequação de atendimento nas Unidades Básicas de Saúde.

No decorrer dos meses, muitas informações foram descobertas sobre a Covid-19, e com isso estabeleceram-se mudanças nos hábitos de vida da população, como o uso de máscaras, maior atenção à higiene das mãos, isolamento social e distanciamento entre as pessoas. O cuidado foi redobrado no âmbito dos serviços essenciais, seguindo diversos protocolos específicos para a situação.

Frente a essas mudanças, uma situação evidenciada pelo Ministério da Saúde é a queda significativa no programa vacinal do país. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) refere que muitas famílias não estão aderindo à vacinação de rotina por medo das aglomerações nos postos de saúde, e avaliam a situação como preocupante. Contudo, ressalta-se que os profissionais estão atendendo aos protocolos, e que se manter imunizado é uma questão de proteção social.

Outro dado preocupante recém-divulgado pelo Ministério da Saúde expõe que, pela primeira vez desde que os dados começaram a ser contabilizados, em 1994, o Brasil não atingiu a meta de vacinar 95% do público alvo em nenhuma das 15 vacinas disponíveis do calendário público.

Segundo o diretor de Ensaios Clínicos do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, um sistema de vacinação não serve só para proteger a pessoa imunizada. Nesse tempo de coronavírus, essas medidas de precaução funcionam no mesmo sentido: as pessoas mais vulneráveis (os idosos, as com doenças crônicas, crianças e gestantes) têm maior possibilidade de adoecer de forma grave. Mas, quando todos prevenimos a transmissão, estamos protegendo-as também. Da mesma forma ocorre quando você combate o mosquito Aedes aegypti e assim protege o vizinho. As medidas em saúde pública têm esse efeito, enfatiza o diretor.

Assim, ressaltamos a importância da vacinação em todas as fases da vida. Procure uma Unidade de Saúde com sua família e solicite a atualização das vacinas – é fazer o bem pra você e para a comunidade ao seu redor!

Fontes:

I

II

III

Meu Sesc

Agora digite sua senha

Recuperar senha
Insira abaixo o seu login cadastrado ou o n˚ do seu Cartão Cliente Sesc e receba instruções e o link para criar uma nova senha.