Ação Social : Mesa Brasil

Desperdício de alimentos: uma reflexão

Produzimos alimentos suficientes?

Atualmente habitada por 7,6 bilhões de habitantes, a Terra abrigará 8,6 bilhões em 2030, 9,8 bilhões em 2050 e 11,2 bilhões em 2100, segundo estimativas do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas.

Portanto, a produção de alimentos no mundo, em relação ao período de 2005 a 2007, precisará aumentar 60% até 2050 para suprir a crescente demanda, resultante do crescimento da população no hemisfério sul, aumento do consumo nos países em desenvolvimento e mudanças nos padrões de consumo. A necessidade de maior produção gera maior pressão sobre recursos naturais escassos, como solo, água, energia e nutrientes (fósforo, potássio etc.) e deixa ainda mais nítido um problema social com elevado impacto ambiental: as perdas pós-colheita e o desperdício no final da cadeia de suprimentos.

Ciclo do desperdício

Mais de 30% da produção de alimentos não é consumida devido ao desperdício que ocorre desde a produção ao consumidor final. As proporções das perdas em cada processo são:

  • 10% dos alimentos desperdiçados são perdidos nos processos de produção e colheita;
  • 50% dos alimentos desperdiçados são perdidos no transporte, manuseio e armazenamento;
  • 30% dos alimentos desperdiçados são perdidos na distribuição;
  • 10% dos alimentos desperdiçados são perdidos nos supermercados e na casa dos consumidores, tendo como principal fator a validade dos produtos.

As perdas e desperdício de alimentos são um entrave para “acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável” é um dos dezessete objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Motivos do desperdício

Alto nível de exigência do consumidor

A crescente exigência do consumidor por qualidade, e por consequência também do varejo, tem levado também ao descarte de alimentos, ainda no campo, por não suprir os padrões estéticos exigidos por algumas redes supermercadistas. As razões para o descarte de alimento apropriado para o consumo por motivos estéticos vão desde o peso e o tamanho até o formato e a coloração.

Estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná em conjunto com o movimento Slow Food criaram uma campanha de alerta sobre o desperdício de alimentos. Entre as ações, foram desenvolvidos um stop motion e uma série de imagens descontraídas com dados sobre o tema.

Prejuízos ambientais

desperdício de alimentos prejudica enormemente o meio ambiente. Imagine que boa parte dos agrotóxicos, água, terras, fertilizantes, desmatamento, transporte, gastos de energia e petróleo para a produção de máquinas e combustíveis empregados em todos os processos da agropecuária são utilizados em vão. Isso faz com que seja necessário intensificar ainda mais a produção e, consequentemente, a pressão ao meio ambiente.

Prejuízos econômicos

Quanto mais alimento jogado fora, mais caro ele fica. Inclusive foi baseada nessa lógica de mercado que, na década de 1930 (e ainda hoje, ilegalmente), no Brasil, a produção de café em excesso foi queimada para gerar lucro. Um terço dos alimentos produzidos no mundo é desperdiçado anualmente, ao custo de US$ 750 bilhões de acordo com a Agência para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO).

Como evitar

Grande parte do desperdício ocorre nos processos de transporte e distribuição dos alimentos, mas o consumidor pode contribuir para a redução:

  1. Faça uma lista de compras

Realize uma parada obrigatória na despensa e na geladeira antes de ir ao mercado fazer compras. Verifique quais alimentos você realmente precisa comprar e evite fazer estoques desnecessários.

  1. Verifique a validade dos produtos

Na hora de cozinhar, dê preferência aos alimentos que estão próximos do vencimento. Se tiver dificuldade na hora de organizar a despensa, anote quais são eles em uma lista e cole na geladeira para não desperdiçar.

  1. Aumente a periodicidade das compras

Em vez de fazer uma compra por mês, ir ao mercado mais vezes e comprar menos produtos é uma ótima medida para evitar o desperdício de alimentos – o fato de comprar menos coisas de cada vez também vai te ajudar a carregar menos peso ou até permitir comprar no mercado local, evitando deslocamentos longos ou o uso do carro e favorecendo a economia local.

  1. Cuidado com promoções

As promoções costumam ser irresistíveis, no entanto, são as grandes vilãs do consumo consciente. Elas nos estimulam a comprar um número alto de produtos, muitas vezes desnecessários e que acabam se estragando. Fique atento! Uma estratégia para evitar o desperdício de alimentos é usar as promoções para variar as coisas que você sempre come: substituindo a compra de algum item pelo produto em oferta.

  1. Acondicione os alimentos corretamente

Antes de guardar frutas, verduras e legumes na geladeira, higienize-os e seque-os e guarde-os em embalagens hermeticamente fechadas para evitar a proliferação de bactérias.

  1. Congele as sobras

Se cozinhar demais ou se comprar muitos alimentos frescos, congele as sobras ou use a técnica de branqueamento para congelar legumes, frutas e verduras.

  1. Aproveite os alimentos em sua totalidade

Faça o aproveitamento integral dos alimentos, utilizando receitas com cascas, raízes, sementes, folhas e talos. É possível reaproveitar partes não convencionais e você vai se surpreender com o resultado das receitas!

  1. Não descarte apenas pela aparência

Se uma fruta ou legume apresentar uma aparência feia, utilize-a mesmo assim! Pequenas imperfeições não alteram o sabor e a carga nutricional destes alimentos.

  1. Optar por alimentos produzidos localmente, uma vez que estes não sofrem (ou sofrem menos) as perdas do transporte e da degradação.
  2. Consumir Pancs (Plantas alimentícias não-convencionais)ruderais*, pois essas são uma alternativa às monoculturas e muitas vezes nascem naturalmente em casa ou nas proximidades, podendo ser colhidas na hora do uso, ou pouco tempo antes, evitando também perdas de transporte a longa distância e degradação pelo armazenamento.
  3. Outra alternativa aliada é compostaros resíduos orgânicos. Assim ao invés de virar “lixo” e ocupar espaço em aterros e lixões, ele vira húmuse servirá de insumo para adubar hortas.

*plantas que crescem espontaneamente em terrenos baldios, frestas de calçadas e muros, em áreas urbanas são chamadas ruderais.

O Programa Mesa Brasil Sesc é um programa de combate à fome e ao desperdício de alimentos que redistribui alimentos às instituições sociais. Tem como base a parceria, arrecada alimentos que perderam o valor comercial e ainda estão próprios para o consumo e entrega para quem mais precisa, ou seja, atua como uma ponte “busca onde sobra e entrega onde falta”, além disso, o Mesa Brasil Sesc vai além da distribuição de alimentos, com ação educativa permanente realiza treinamentos, cursos, oficinas e palestras sobre diversos temas com destaque ao tema aproveitamento integral dos alimentos.

Saiba mais aqui.

Meu Sesc

Agora digite sua senha

Recuperar senha
Insira abaixo o seu login cadastrado ou o n˚ do seu Cartão Cliente Sesc e receba instruções e o link para criar uma nova senha.