Cultura : Cinema

Uma Diretora por Mês / Carla Camurati

No mês de outubro o Drops CineSesc apresenta produções audiovisuais brasileiras intensas e reflexivas.  Uma diretora por mês, iniciativa do Sesc Paranavaí, é uma ferramenta de divulgação e indicação de produções audiovisuais para os clientes do Sesc Paraná e público em geral.

Antes de se dedicar ao ofício da direção para o cinema, Carla Camurati foi uma atriz brasileira de televisão e cinema de notável sucesso na década de 1980. Esteve em novelas de grande repercussão como: Brilhante (1991), de Gilberto Braga; Sol de Verão (1982), de Manoel Carlos; Livre Para Voar (1984), de Walther Negrão e Alcides Nogueira; Fera Radical (1988), de Walther Negrão.

No cinema estrelou a trilogia: O Olho Mágico do Amor (1981); Onda Nova (1983) e Estrela Nua (1985), na direção de José Antônio Garcia e Ícaro Martins, filmes que tinham como pano de fundo a Pornochanchada – gênero cinematográfico brasileiro com foco no corpo e sensualidade – mas com narrativas superiores ao gênero, que leva o interlocutor a lugares mais reflexivos e questionadores.

A estreia de Carla Camurati como diretora cinematográfica ocorreu ainda nos anos 80, no curta-metragem A Mulher Fatal Encontra O Homem Ideal (1987), e posteriormente em Bastidores (1990).

Carla Camurati em sua cinebiografia dirigiu apenas quatro longas-metragens, mas sua potência como profissional está em dirigir, produzir, roteirizar e distribuir suas produções. Carla Camurati dirigiu no ano de 1995 o filme marco do Cinema da Retomada – movimento cinematográfico brasileiro, que impulsionou o audiovisual nacional, por meio de incentivos fiscais, após um período de quase estagnação da produção cinematográfica no Brasil. Carlota Joaquina, Princesa do Brazil, tem em seu elenco Marieta Severo como Carlota Joaquina e, Marco Nanini como Dom João VI.

No ano de 1997, Camurati dirigiu o primeiro filme-ópera do Brasil La Serva Padrona, desse trabalho em diante Carla Camurati se dedicou a direção de óperas teatrais em território Nacional: Madame Butterfly de Puccini (1999); Carmen de Bizet (2001); O Barbeiro de Sevilha de Gioacchino Rossini (2003) e Rita de Donizetti (2007), trabalhos sempre assinados com a regência de um maestro de relevância.

Copacabana é seu terceiro longa-metragem, o filme narra histórias vividas no tão famoso bairro carioca. No elenco Marco Nanini volta a colaborar com Carla Camurati, que também traz em sua produção a icônica Rogéria.

Em 2006, Camurati leva para as telas do cinema Irma Vap O Retorno, adaptação da peça teatral com texto original de Charles Ludlam (1943-1987), que no Brasil foi encenada por 11 anos pelos atores Marco Nanini e Ney Latorraca – os mesmos que protagonizam o filme – sobre a direção de Marília Pêra.

Carla Camurati, que comemora 61 anos neste 14 de outubro, também é uma das sócias fundadoras da Copacabana Filmes uma das maiores produtoras e distribuidoras de cinema do território nacional.

Carla Camurati | 1960 | Dir: Carla Camurati | Brasil | Classificação: LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS DO MUNDO

Texto Edson Godinho – técnico de atividades Sesc Paranavaí

Meu Sesc

Agora digite sua senha

Recuperar senha
Insira abaixo o seu login cadastrado ou o n˚ do seu Cartão Sesc e receba instruções e o link para criar uma nova senha.